sexta-feira, 1 de março de 2013

Omissao, mentira, traiçao... Eis a questao

-->
Alguem tomaria água tranquilamente num copo que foi quebrado porém colado com total cuidado e que teoricamente não há risco? Fica sempre aquela dúvida se não haverá nenhum caquinho de vidro pra nos cortar garganta a fora, não é mesmo?
Assim é a mentira, a traiçao. Como disse Nietzsche “ o que mais me doi não é que tenha mentido, e sim que não poderei mais confiar em você”
Perdoar não significa esquecer e nem ao menos sei dizer se feliz ou infelizmente. Talvez o melhor fora esquecer, apagar, zerar. Mas aqui entra a questao; não ficariamos então mais suceptíveis a passar pelo mesmo outra vez? Ou se for pra que te façam o mesmo outra vez te farao você já havendo vivido a mesma situaçao ou não?
Sao tantas perguntas sem nenhuma resposta.
Mas uma coisa é certa; traiçao doi, machuca e deixa marcas.
Traiçao é a folha amassada que se tenta desamassar, o pé que foi quebrado que sempre temos medo de voltar a quebrar, a farinha que cai no chao e queremos juntar...
Alias uma outra questao; quem nasce primeiro a mentira ou a traiçao?
Seria a traiçao fruto de uma mentira ou seria a mentira fruto da traiçao. E ainda pergunto mais... onde entraria a omissao nessa questao?

Nenhum comentário:

Postar um comentário